Zero rating faz diferença e 58% dos brasileiros acessam à Internet apenas pelo celular

CONVERGÊNCIA DIGITAL


Ana Paula Lobo ... 18/08/2021 ... Convergência Digital


O zero rating- que é a concessão de uso de aplicativos sem a perda do pacote de dados contratado junto à operadora por parte do assinante- segue fazendo a diferença no acesso à Internet no Brasil. Milhões de brasileiros ainda usam tão somente esses aplicativos gratuitos para navegar na rede mundial, mostra a TIC Domicílios 2020, divulgada nesta quarta-feira, 18/08, pelo CETIC.br. O levantamento mostra que 58% dos brasileiros acessam à Internet apenas pelo celular.


"Não estudamos exatamente o zero rating, mas fica claro que entre aqueles que não se identificam como usuários de Internet, principalmente nas classes menos desfavorecidas, eles usam apenas esses aplicativos gratuitos sem saber que estão na Internet", explica Fabio Storino, coordenador da Pesquisa TIC Domicílios no Cetic.br|NIC.br. 


O estudo mostra que as mensagens instantâneas, como WhatsApp, foram acessadas por 93% dos brasileiros, mas as chamadas de voz e vídeo - tão necessárias no período de isolamento social da pandemia de Covid-19 - foram limitadas por conta da qualidade de conexão à Internet. "Além da qualidade da internet, há também a questão dos dispositivos usados", adiciona Fabio Storino.


Esse dado da diferença de qualidade de conexão só acentuou as desigualdades no aproveitamento das oportunidades online. Usuários da Classe C, por exemplo, realizaram mais cursos a distância e estudaram mais por conta própria em 2020 em relação a 2019, mas ainda em proporções inferiores aos usuários da classe A. 


Segundo o levantamento, mais usuários procuraram (42%), ou realizaram (37%) serviços públicos online em 2020. Essas atividades concentraram-se mais entre moradores de áreas urbanas, com mais escolaridade e das classes A e B. Até porque os usuários das classes C, D e E não têm PCs em casa: a maior parte usa o celular como o único meio. A diferença entre a classe A, com quase 100% de uso do PC, nas classes D e E, os PCs estão presentes em apenas 13% dos lares.


A TIC Domicílios 2020 mostra ainda que, por conta do isolamento social, também houve um impulso narealização de transações financeiras no ambiente digital (43%, contra 33% em 2019), com aumento mais expressivo entre aqueles das classes C e DE, até por conta da massificação dos aplicativos nos celulares e do próprio Auxílio Emergencial, que levou milhões de brasileiros para o celular.  O estudo mostra que as desigualdades digitais até reduziram, mas ainda se mostra muito alta no Brasil, com mais de três dígitos de diferença entre as classes A e as classes C, D e E.


TV supera computador na classe A


 


A proporção de acesso à Internet pela televisão apareceu pela primeira vez na série histórica da pesquisa acima da proporção de acesso pelo computador, alcançando 44% dos usuários brasileiros (7 pontos percentuais acima do registrado em 2019). “O avanço do uso da Internet pela TV está associado ao consumo de cultura e entretenimento, que durante a pandemia passou a ser reportado por uma parcela maior da população”, diz Alexandre Barbosa. As maiores diferenças na utilização de Internet pela TV em relação a 2019 foram observadas entre usuários de 16 a 24 anos e especialmente nas classes A e B.

Voltar