Microsoft traz ferramenta de publicidade ao Brasil

MEIO&MENSAGEM

Internacionalizando sua vertente de anúncios, Audience Network amplia a oferta de soluções a anunciantes e explora nova audiência


 


Giovana Oréfice
24 de maio de 2022 - 6h02


 


 


A Microsoft anunciou recentemente que a Audience Network, ferramenta voltada para anunciantes, estará disponível a companhias brasileiras. A solução está em funcionamento há cerca de dois anos em mercados internacionais, como Estados Unidos, França e Reino Unido, e passa a ter o Brasil como target estratégico latino-americano, integrando dados de comportamentos dos usuários brasileiros – parte da comunidade da Microsoft que ultrapassa a marca de 1 bilhão de usuários em âmbito global. 



 


Mariano Medina Walker, VP regional da Microsoft para a América Latina (Crédito: Divulgação)


 


De acordo com Mariano Medina Walker, vice-presidente regional da Microsoft para a América Latina, a companhia considera o advertising um pilar de negócios e foca em anunciantes de todos os portes para utilizar dados de targeting dos consumidores para a otimização de campanhas e anúncios mais direcionados. “A internacionalização da plataforma latino-americana tem foco importante agora. Obviamente, o Brasil é o mercado mais importante na região, com uma rede de anúncios de audiência e os shopping ads”, diz o executivo. “A proposta de valor é que a audiência do Windows tem muita participação de mercado em todo o mundo”, completa. 


 


É importante ressaltar que o compartilhamento de informações diz respeito ao comportamento dos consumidores nas diversas plataformas da Microsoft, como Teams, Bing, Edge e MSN, e não ao conteúdo de mensagens e e-mails, por exemplo. “Para a Microsoft, a segurança é um principio fundamental em todos os produtos e agora também temos essa premissa. Temos a compatibilidade com todas as normas internacionais”, conta Walker. A empresa segue os padrões de segurança de dados assegurados por leis locais dos países em que opera e, no Brasil, isso não será diferente. Atualmente, a proteção de dados é regida pela Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). A solução integra também o LinkedIn, adquirido pela Microsoft em 2016.


 


Além disso, a Microsoft busca com o recurso explorar uma nova persona: o workday consumer, conforme indica Walker. O perfil, que surgiu com o advento da pandemia, é decorrente da quase que união entre vida pessoal e profissional com a ascensão do home office. Para desvendar o fenômeno, a Microsoft encomendou uma pesquisa à Forrester Consulting que contou com mais de 5 mil consumidores empregados em todo o mundo, além de 1.300 executivos de marketing. 


 


O levantamento identificou que 60% dos respondentes normalmente misturam trabalho e tarefas pessoais em seus afazeres durante o horário comercial, por considerarem ambos os âmbitos igualmente importantes. As atividades podem incluir compras de mantimentos online, planejamento de atividades no final de semana ou até mesmo pesquisas de itens para a casa. “O Windows está muito focado na produtividade para que a gente tenha mais eficiência no tempo. Estamos na interseção do trabalho e da vida pessoal”, pontua o VP. 


 


As métricas são aperfeiçoadas com o uso de inteligência artificial e algoritmos, entre eles o Integral Ad Science (IAS), que realiza a verificação de anúncios digitais às marcas a fim de gerar segurança para os anunciantes evitando gastos desnecessários. Contudo, a Microsoft conta também com um time humano por trás, escalando os casos em que usuários não queiram ver determinados anúncios a fim de garantir a efetividade e satisfação dos clientes. 


 


Walker garante que a big tech já trabalha com os grandes anunciantes do Brasil de diversos tipos de verticais, entre elas varejistas, companhias de viagens, entre outros. Ainda, ele afirma que o México também receberá a solução, como parte da “segunda onda” de internacionalização da Audience Network. 


 


 

Voltar