SET Expo 2019 | Análise: Entrega de conteúdo multiplataforma é uma necessidade real para o mercado de rádio

Tudo Rádio - SET

Terça-Feira, 03 de Setembro de 2019 @ 07:30


 


São Paulo - Afirmação é baseada no peso dado para o assunto durante o SET Rádio, dia do SET Expo que teve painéis voltados exclusivamente ao veículo


O SET Expo 2019 acabou e os profissionais de rádio já estão de volta às suas rotinas diárias. Porém, é seguro afirmar que os participantes do SET Rádio voltaram com a sensação que a entrega de conteúdo multiplataforma é uma necessidade real para manter a relevância do meio rádio. O panorama foi demonstrado ao longo de toda a programação do SET Rádio, grade totalmente dedicada ao veículo e que foi realizada na última quarta-feira (28) em São Paulo. E essa entrega ocorre em diferentes frentes, seja no mundo físico (através de eventos e ações locais próximas da audiência), como no digital (em áudio, em vídeo, matérias gráficos, etc). Acompanhe:


As emissoras de rádio até podem optar qual é a melhor estratégia multiplataforma para a sua realidade e/ou para o seu público-alvo. Não é um erro abrir mão de uma entrega mais ampla de vídeo para priorizar o áudio (seja ele live - ao vivo - ou o podcast - na entrega on-demand), até pelo fato desse recurso ser onde as emissoras possuem mais expertise. Também é fato que não há uma estratégia fechada, visto que os cases bem sucedidos usados como exemplos possuem várias diferenças entre eles.


Mas algumas questões são regras, independente do que for escolhido pela emissora. Tudo começa no fortalecimento da marca e na qualidade do conteúdo oferecido, independente da plataforma. As duas situações precisam se conversar a partir de uma demanda real do público-alvo. 


Na sequência, a atuação multiplataforma entra como necessidade na entrega da marca e do conteúdo, com alguns meios sendo obrigatórios. Isso vai desde a transmissão terrestre de qualidade (boa qualidade de áudio, sinal, uso de recursos como RDS, entre outros pontos), como também no digital. 


No on-line, é repetido de forma exaustiva a necessidade de contar com plataformas próprias com funções intuitivas para o usuário, uso de ambientes relevantes de terceiros (indexadores de áudio/streaming, agregadores de podcasts, mídias digitais, entre outros pontos de distribuição, já que há concentração de público nessas ferramentas, possibilitando também novas frentes de comercialização).


Apesar de serem situações aparentemente repetidas, conforme a tecnologia evoluí, o cenário ganha contornos emergenciais. Estar presente em todos os lugares, torna a rádio pronta para possíveis viradas futuras nos hábitos de consumo, ambientes impulsionados por novidades como smart-speakers (caixas de som com inteligência artificial) e automóveis conectados. 


Nos próximos dias, o tudoradio.com publicará um artigo ampliando essa discussão, inclusive organizando os canais de distribuição multiplataforma que já estão a disposição das emissoras (e que já são utilizados pelos cases considerados de sucesso).


Outro ponto fundamental é a necessidade de seguir essas tendências mais próximas e evoluir de forma significativa na produção e entrega de conteúdo. Pois, algo que foi muito falado em vários painéis do SET Expo 2019, é da imprecisão nas previsões de como estará o mercado daqui cinco anos. E isso vale para todos os modelos de negócio da economia atual.



Painel digital e placa com logotipo do evento, que estavam localizados na entrada da feira do SET Expo 2019, realizado no mês de agosto, em São Paulo / foto: tudoradio.com


Daniel Starck


 


 

Voltar